Menu
X

Arquivos da Categoria: Noticias

imagem

Calçados Bibi conquista Selo Prata Origem Sustentável

Consumo consciente é um dos principais pilares da marca de calçados infantis

Engajada em promover o consumo consciente das novas gerações, a Calçados Bibi conquistou o Selo Prata Origem Sustentável neste mês de dezembro de 2014. A marca é a primeira indústria a receber esta homologação, a qual atesta o compromisso com as iniciativas nos processos industriais, bem como o desenvolvimento de ações em sintonia com os pilares estabelecidos pelo Programa Origem Sustentável: Econômico, Ambiental, Social e Cultural, promovido pela Abicalçados e Assintecal com a gestão do Instituto by Brasil.

Em 2013, a Bibi já havia recebido o Selo Bronze Origem Sustentável e agora, ao evoluir um nível da certificação – que segue a escala Branco, Bronze, Prata, Ouro e Diamante, foi auditada pela SGS que atestou a incorporação da sustentabilidade em seus processos, a marca comemora o reconhecimento por suas atitudes junto ao meio ambiente, ao mercado brasileiro e à sociedade.

O programa, que certifica empresas da cadeia produtiva do calçado, foi estruturado pela coordenadora do Laboratório de Sustentabilidade da USP, professora Tereza Cristina Carvalho, e implementado pela Abicalçados e Assintecal, tendo como entidade gestora o instituto by Brasil e conta ainda com o apoio do Sebrae Nacional.

Empresa

Vários movimentos da Bibi representam a conquista do Selo Prata de Sustentabilidade. A empresa também se destaca por suas atividades sociais, como a Fábrica de Talentos que em parceria com o SENAI (Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial), qualifica profissionalmente jovens com idade entre 16 a 20 anos. O programa é realizado nas fábricas em Parobé/RS e Cruz das Almas/BA. Anualmente, 56 jovens, em média, são capacitados para os desafios da vida, trazendo uma visão de empresa, de planejamento familiar e financeiro, ética, assim como o ofício de desenvolvimento e produção de calçados. Muitos desses novos talentos são recrutados e passam a integrar o time oficial da calçadista.

Preservando a relação com seus colaboradores, fornecedores, clientes e parceiros, a Bibi tem seu próprio Código de Conduta, visando sempre a ética, transparência, agilidade e o bom convívio. O material mostra os valores, as responsabilidades, a missão e todos os propósitos da marca junto aos públicos interno e externo, mercado e meio ambiente.

Na educação, a Bibi distribui a Cartilha Financeira aos colaboradores e aos alunos da rede municipal de ensino da comunidade, trazendo noções de educação financeira. O material faz parte da parceria entre Secretaria Municipal de Educação (SMED) e Rotary Club. Além de destacar a importância do planejamento e da disciplina financeira, a cartilha foca a racionalização de gastos, apresentando tabelas para cálculos de orçamentos e sugestões de listas de compras.

Fundada em 1949, a Calçados Bibi, é referência no mercado de calçado infantil. Com fábricas sediadas em Parobé e em Cruz das Almas, produz cerca de 3 milhões de pares ao ano, reprocessando 100% dos resíduos industriais. Presente em mais de 65 países nos cinco continentes, no Brasil está em mais de 5 mil pontos de venda multimarcas, além do e-commerce e uma rede de franquias com mais de 70 lojas. A loja apresenta um conceito inovador, oferecendo uma experiência única de compra para crianças e pais.

A marca de calçados infantis é pioneira e líder em desenvolver produtos a partir de pesquisas e estudos científicos. Conquistou reconhecimento do setor a partir do trabalho que desenvolve com os calçados fisiológicos e no emprego de tecnologia Fisioflex Bibi – que proporciona a sensação de andar descalço no seu público-alvo: as crianças.

Há 65 anos no mercado, a Bibi é reconhecida por ser uma empresa que se preocupa com a saúde dos pés das crianças, e numa atitude pioneira no mercado brasileiro de calçados infantis, a Bibi, em parceria com o IBTeC (Instituto Brasileiro de Tecnologia do Couro, Calçados e Artefatos), monitora todos os seus materiais, e utiliza somente aqueles que estão de acordo com os padrões internacionais quanto a substâncias tóxicas, assegurando o desenvolvimento saudável das crianças e a tranquilidade das mães e pais.

 

Fonte: Assessoria de Imprensa Bibi

imagem

Calçados brasileiros desembarcam em Las Vegas

Brazilian Footwear leva 19 marcas nacionais para a feira FN Platform

Las Vegas, nos Estados Unidos, famosa pelas despedidas de solteiro americanas, cassinos e muita diversão, também se tornou palco de eventos importantes para o mundo dos negócios. Exemplo disto é a FN Platform, feira calçadista organizada pela revista Footwear News, parte da Magic Market Week, que ocorre de 17 a 19 de fevereiro e reúne cerca de 1.600 expositores.

Trocarão o Carnaval e o calor do Brasil pelo frio do Hemisfério Norte 19 marcas nacionais.  São elas: Rider, Grendha, Zaxy, Ipanema, Mel by Melissa, Anatomic & Co, Bottero, Schutz, Pampili, Boaonda, Shoetherapy, Amazonas Sandals, Stéphanie Classic, Carrano, Ferracini 24h, Dumond, Lilly’s Closet, Capodarte e Pimpolho.

A participação brasileira é organizada pelo Brazilian Footwear, programa de promoção de exportações de calçados brasileiros, uma parceria entre a Associação Brasileira das Indústrias de Calçados (Abicalçados) e a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil).

Expectativas

Os Estados Unidos são, tradicionalmente, o principal destino dos calçados tupiniquins. Em 2014, os norte-americanos compraram 11,85 milhões de pares de sapatos brasileiros, o equivalente a US$ 193,67 milhões, 2,2% a mais do que o registrado em 2013. Em janeiro de 2015, 1,20 milhão de pares foram enviados para lá, gerando US$ 12,09 milhões.

Exatamente por se tratar do principal mercado importador de calçados brasileiros, as expectativas para o evento são muito positivas. “A cada edição, a feira tem se mostrado mais internacionalizada, com compradores não apenas dos Estados Unidos, mas também de outros países da América do Norte, América Central e América do Sul, além de alguns compradores da Europa e Ásia, o que tem aumentado a realização de negócios das marcas brasileiras no evento”, enfatiza a analista da Unidade de Promoção Comercial da Abicalçados, Ruísa Korndorfer Scheffel.

A edição de fevereiro do ano passado foi positiva para os brasileiros. Com 17 marcas nacionais expondo seus calçados, a participação verde-e-amarela resultou em US$ 725 mil em negociações e expectativa de cerca de US$ 4 milhões nos meses seguintes, decorrentes de negócios futuros.

Paralelos

Como parte do Export Thinking – projeto que contempla um seminário preparatório, serviço de matchmaking e uma plataforma comercial, que normalmente é uma feira comercial -, o Brazilian Footwear realizará um seminário preparatório para as marcas brasileiras no dia 16 de fevereiro, um dia antes do início da feira, e irá abordar assuntos como plano de vendas no varejo americano, exigências do mercado e agentes comerciais nos EUA. “Além disso, o Brazilian Footwear está promovendo um serviço de matchmaking, realizado pela empresa Euromonitor International, que busca potencializar os negócios entre as marcas brasileiras e compradores norte-americanos”, explica Ruísa.

Além disso, o Brazilian Footwear terá um lounge de relacionamento com compradores internacionais, um local de descanso e também de aprendizado sobre as marcas brasileiras e seus produtos.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Abicalçados

imagem

Calçados têm reoneração menor da folha de pagamento

Acréscimo do setor é de 50%, enquanto outros setores tiveram alíquota revista em 150%.

Como parte do ajuste fiscal proposto pelo governo para acerto das contas públicas, a presidente Dilma Rousseff sancionou a lei que revê a desoneração na folha de pagamento de 56 setores. A chefe do Executivo aceitou o destaque para a indústria calçadista que teve o aumento reduzido de 150% para 50%.

As novas alíquotas entram em vigor em dezembro, 90 dias após sanção presidencial. Criada em 2011, a desoneração trocava a contribuição patronal de 20% sobre a folha de pagamento para a Previdência por alíquotas incidentes na receita bruta das empresas. Com a mudança, o governo aumentou as duas alíquotas atuais de 1% e 2% para, respectivamente, 2,5% e 4,5%.

“Levando em conta que o setor calçadista é uni dos poucos que sofreu uma reoneração de apenas 50%, quando outros tiveram um aumento maior, entendemos de que isso é o menor dos males, Seria melhor ter ficado da forma como estava, mas diante do cenário macroeconômico, a situação para as indústrias calçadistas é mais confortável”, avalia o presidente-executivo da Associação Brasileira das Indústrias de Calçados (Abicalçados), Heitor Klein.

Fonte: Francal.com.br

imagem

Calçados tendências gerais

As referências vêm do passado para compor um visual infantil mais refinado, caracterizado pelo excesso e pela ornamentação. Neste viés, materiais mais elaborados entram em cena, investindo no brilho, nos metalizados, nas texturas e na beleza formal que evocam, especialmente através da reinterpretação de clássicos.

Matérias-primas

Peles

As peles invadiram o vestuário e os calçados infantis, dando um toque de sofisticação para as peças. Perceba que, para criar um visual mais elegante, as peles chegam como detalhes, seguindo a cor do calçado, especialmente em tons neutros.

1. Miss Blumarine – Pitti Immagine Bimbo | 2. Omnipel – Lineapelle | 3. Lea Lelo – FIMI  | 4. Losan – Pitti Immagine Bimbo

Metalizados

Neste cenário, couros e laminados metalizados ganham um visual mais elaborado, especialmente através das texturas, que recriam superfícies de animais. Perceba que seu uso pode ser variado, compondo sapatilhas delicadas até abotinados arrojados.

1. Elisa Menuts – FIMI  | 2. Quis Quis by Stefano Cavalleri – Pitti Immagine Bimbo  | 3. Adige – Lineapelle

Glitter

O glitter é outra opção para garantir um brilho a mais nos calçados, podendo ganhar um toque de cor, combinando com outros materiais ou sendo destacado em cabedais. Atente para seu uso em sapatilhas e slippers.

1. Sanmar – FIMI | 2. Omnipel – Lineapelle | 3. Oca Loca – FIMI | 4. N+V – FIMI

Matelassê

Há algumas temporadas o matelassê vem sendo explorado no vestuário e nos calçados, e garante presença em mais uma temporada. Atente para o uso nos abotinados, sapatilhas e tênis casuais.

1. Foque – FIMI | 2. Mayoral – FIMI | 3.  Miss Blumarine – Pitti Immagine Bimbo

Couro vazado

Eles garantem uma leveza a mais para os calçados, e podem ser boas opções para abotinados de canos mais longo, proporcionando assim um maior conforto para as meninas.

1. Desfile Coletivo – Alta Roma Alta Moda | 2. Tendência – Forum Matière Première – Le Cuir a Paris

Couro liso

Mesmo o destaque sendo maior para as texturas e outros materiais neste cenário, o couro liso ganha espaço, principalmente em abotinados.

1. Velvetred – MICAM | 2. Conceria Carli – Lineapelle  | 3. Barcarola – FIMI

Peças-chave

Bota cano longo

As botas de cano longo ganham destaque, seja através dos couro liso, seja ganhando um decor extra através de aplicações e canos trabalhados, como é o caso da marca Quis Quis, que investe no uso do matelassê.

1. Quis Quis by Stefano Cavalleri – Pitti Immagine Bimbo | 2. Foque – FIMI  | 3. Quis Quis by Stefano Cavalleri – Pitti Immagine Bimbo

Coturnos

Eles ganham um visual mais elaborado ao utilizar materiais metalizados e aplicações. Atente para os detalhes, mais sofisticados neste cenário, especialmente em relação aos cadarços e fechamentos.

1. Barcarola – Pitti Immagine Bimbo | 2. Parrot – Pitti Immagine Bimbo  | 3. Miss Blumarine – Pitti Immagine Bimbo

Clássicos

Calçados clássicos, como o oxford e o brogue,  continuam em alta nesta estação, variando cores e materiais. Em destaque estão os modelos mais robustos com modelagens mais próximas dos clássicos masculinos.

1. Yoki – Children`s Club | 2. Fun & Fun – Pitti Immagine Bimbo  | 3. Fun & Fun – Pitti Immagine Bimbo  | 4. Quis Quis by Stefano Cavalleri – Pitti Immagine Bimbo

Boneca

O modelo boneca ganha renovação nessa temporada, investindo nos materiais e apostando em novas versões. Atente para a combinação de materiais elaborados, mesclando envernizados, brilhos e estampas com superfícies lisas e opacas.

1. Il Gufo – Pitti Immagine Bimbo | 2. N+V – FIMI  | 3. Pazittos – Children`s Club

Cap toe

Os modelos clássicos, que destacam a ponta do calçado, ganham propostas ainda mais elaboradas nesta temporada. Atente para as aplicações metálicas, para o uso do matelassê e para a mescla de brilho e fosco.

1. Yoki – Children`s Club | 2. Sophie Scoonor – Children`s Club

Detalhe

Aplicações

Aplicações de metais e pedrarias ficam ainda mais fortes nesta temporada, garantindo um toque de brilho a mais para os calçados. As aplicações podem ser feitas em camurças, couros e metalizados.

1. Terra & Água – MICAM | 2. Miss Grant  | 3. Miss Blumarine – Pitti Immagine Bimbo   | 4. Quis Quis by Stefano Cavalleri – Pitti Immagine Bimbo

imagem

Calvest lança marca feminina visando conforto e elegância

Inspirada em muito luxo e tendências fashions, a Calvest preparou a marca IOD’S, nova integrante do portfólio que surgiu a partir de pesquisas para atender o público feminino. A beleza natural e a riqueza dos detalhes são as principais características dos calçados desenvolvidos para esta linha.

Com cabedal em couro, os sapatos garantem seu charme a partir de uso de recortes e materiais diferenciados. A palmilha acolchoada em neoprene e forro em PU oferecem o conforto e praticidade que a rotina contemporânea exige. As texturas ficam por conta dos clássicos, como o couro e verniz, e os tamanhos disponíveis vão do 33 ao 41.

A IOD’S chega ao mercado com uma proposta moderna, ideal para mulheres elegantes que procuram atitude para compor um visual mais arrojado.

imagem

Câmara aprova redução da desoneração da folha de salários

Conforme o PL, a contribuição patronal dos calçadistas passará de 1% para 1,5% sobre o faturamento

A Câmara dos Deputados aprovou, na noite de quarta-feira (24), o texto-base do Projeto de Lei 863, que reduz as desonerações das folhas de pagamento de 56 segmentos da economia, entre eles o setor calçadista. Para os calçadistas, o aumento da proposta original, que era de 150%, ficou em 50%, conforme alteração incluída pelo relator do projeto, deputado Leonardo Picciani, pouco antes da votação. Conforme o PL, a contribuição patronal dos calçadistas passará de 1% para 1,5% sobre o faturamento.

Para o presidente-executivo da Associação Brasileira das Indústrias de Calçados (Abicalçados), Heitor Klein, trata-se de mais um revés para a indústria, mas que já era esperado, conforme proposta do ajuste fiscal do Governo Federal. “Quem está pagando pelo desajuste nas contas públicas é, justamente, quem poderia ajudar o governo a sair da situação”, avalia o executivo, acrescentando que o aumento na arrecadação esperado pelo governo poderia ser muito mais efetivo com o apoio à indústria e não com o aumento de custos. “Sofremos um processo de desindustrialização que tem sido acentuado com o passar dos anos. O aumento dos custos só vai acelerar ainda mais esse movimento. O governo busca recuperar as finanças de modo equivocado, pois, como se sabe, onde não há indústria, não há desenvolvimento”, conclui o dirigente, que acompanhou a votação no Congresso.

O PL votado ontem faz parte do programa de ajuste fiscal proposto pelo governo federal com a meta de equilibrar as contas públicas da União. A partir da votação na Câmara o projeto segue para o Senado Federal e posterior sanção da presidente Dilma Rousseff.

imagem

Camila Pitanga estrela campanha de Herchcovitch

A atriz Camila Pitanga estrelou a campanha em vídeo de Alexandre Herchcovitch. A proposta é mostrar a cara da marca e, para isso, o estilista convocou, além de Camila, o fotógrafo Bob Wolfenson, o stylist Mauricio Ianês e o maquiador e cabeleireiro Robert Estevão para o projeto.

imagem

Campanha da Kidy valoriza liberdade para brincar

Com os temas Bosque Encantado e Caçadores de Aventuras, peças resgatam a magia e pureza da melhor fase da vida.

A liberdade para brincar, em espaços amplos e bucólicos, faz parte da magia de ser criança. O conceito permeou a criação da nova campanha para a coleção outono-inverno da Kidy, em imagens repletas de magia, aventura e, claro, os principais lançamentos da marca para a estação.

No “Bosque encantado Kidy”, as meninas exalam a pureza e a doçura da infância em um mundo mágico onde elas podem ser o que quiserem: românticas, divertidas, modernas e conectadas. Nesse mundo inocente e que reserva muitas surpresas, as pequenas sonhadoras brincam em uma floresta cheia de encantos e segredos.

Para os garotos, a campanha segue uma linha desbravadora: “Os Caçadores de Aventuras”, que faz a conexão entre uma infância com alegria, amizade e simplicidade. Nela, as crianças embarcam para uma expedição rumo à aventura infinita, onde o conforto é um companheiro fundamental na construção de grandes histórias.

imagem

Campanha da Kildare reverencia conceito “Coloque Alma em Tudo”

Modelos de sapatos, sandálias, joggings, siders e abotinados enfatizam casualidade e descontração.

O conceito “Coloque Alma em Tudo” é reverenciado na nova campanha da marca gaúcha de calçados Kildare para o Verão 2016. No ensaio, fotografado por Carlos Contreras e estrelado por Guilherme Roth e Gabriella Soltys, é mostrada uma conexão com o natural e, ao mesmo tempo, com o dia a dia das grandes cidades.

Na ação a marca exibe um mix selecionado, que sintetiza uma coleção de produtos simples e com alma jovem. Modelos de sapatos, sandálias, joggings, siders e abotinados surgem em destaque nas imagens, e abordam os conceitos de casualidade e descontração.

Fonte: Francal.com.br

imagem

Campanha da Luz da Lua é guiada pelo fetiche

Fetiche é o tema da campanha de inverno da Luz da Lua (Novo Hamburgo/RS). O charme dos anos 1950, juntamente com a exuberância da mulher da época, retratam uma sensualidade requintada, bem ao estilo da marca. Muita sofisticação e um toque sexy, com pitadas de mistério, evidenciam os sapatos, bolsas e acessórios da grife.

As fotos e o filme tiveram como cenário a exuberante Biblioteca Pública de Porto Alegre/RS. A campanha é estrelada pela modelo Sally Maria, que já participou de desfiles dos renomados estilistas Giorgio Armani, Vivienne Westwood e Yohji Yamamoto, fotografou  para editoriais da Elle, Vogue, Marie Claire, Daslu e fez capas de Elle e Marie Claire Singapura. Todo o fetiche da Luz da Lua terá veiculação a partir da segunda quinzena de março.

 

Ficha Técnica:

Modelo: Sally Maria – Mega Model

Produtora do Filme: DETOUR

Agência: RBA

Criação: Douglas Pires

Direção de Criação: Felipe Schlickmann

Stylist: Cesar Fassina

Make Up Artist: Liege Wisneiwski

Direção do filme: Alvaro Beck

Direção de Fotografia: João Frohlich

Produtor de Objetos: Irã Ferreira

Coordenação de Produção: Michele Ruaro

Diretora de Produção: Cintia Schmaedecke

imagem

Campanha da Topper apresenta novo posicionamento

Paixão do brasileiro pelo futebol é destaque em “Grito é Gol”.

Ao completar 40 anos no mercado de esportes, a Topper, marca do grupo Alpargatas, promove neste mês uma campanha na qual apresenta seu novo posicionamento. O objetivo é fortalecer o relacionamento com o público-alvo da região Nordeste, assim como São Paulo e Rio de Janeiro.

Levando em consideração a presença da marca em toda a América do Sul, onde detém liderança em algumas regiões, a marca estimula o conceito do futebol de verdade. A paixão do brasileiro pela prática do esporte está entre os destaques da campanha “Grito é Gol”, protagonizada pelos calçados de futsal Letra, Frontier VII e Comet IV; Combat e Provoke de Society; e Vector e Champion IV para campo.

Ao buscar evidenciar o conceito de diversão em grupo, frases como “Chutão é gol”, “Carrinho é gol” e “Drible é gol” fazem parte das peças publicitárias, e mostram que é possível se divertir em vários momentos antes e depois da partida.

O material será veiculado de diferentes formas, incluindo nos intervalos dos principais canais e programas dos estados da região Nordeste, e também por canais da Internet, como os grandes portais, Youtube, Facebook, Esporte Interativo, entre outros.

Fonte: Francal.com.br

imagem

Campanha de lingerie traz modelo idosa

American Apparel trouxe um proposta diferente para sua nova campanha de lingerie: chamou a modelo nova-iorquina Jacky O’Shaughnessy, de 62 anos, para vestir peças de moda íntima da marca. O slogan da campanha é “sensualidade não tem prazo de validade”. Na imagem, Jacky usa calcinha de renda bordô e sutiã roxo tomara que caia também de renda.

imagem

Campanha de Marc Jacobs tem modelos selecionados através de redes sociais

Nove pessoas foram escolhidos para apresentarem nova coleção

Foram apresentados os nove rostos selecionados para a campanha de outono-inverno de Marc Jacobs. Em abril deste ano o estilista lançou a hashtag #CastMeMarc, com a qual deveriam ser postadas fotos dos candidatos a modelo de sua coleção. Mais de 70 mil participantes enviaram suas fotos através do Instagram e Twitter. Selecionados pelo próprio Marc, 50 pessoas disputaram nove vagas.

O resultado do concurso traz modelos vestindo sobreposições de roupas e peças com estampas chamativas. O destaque vai para os cabelos dos participantes, que já eram tingidos antes da sessão fotográfica e permaneceram assim para as lentes de David Sims. Desde que a dupla Katie Hillier e Luella Bartley assumiu a direção criativa da marca, este é o seu primeiro trabalho.

imagem

Campanha retrata geração de mulheres livres

Ensaio para a coleção de inverno valoriza a liberdade de escolha e a quebra de paradigmas de beleza impostos pela sociedade.

Mulheres, livres para fazerem suas próprias escolhas, antenadas no mundo fashion e com um estilo único e cheio de personalidade que quebra as barreiras da idade. É esta nova geração a retratada na campanha da Usaflex para a coleção outono-inverno 2016.

Para mostrar este contato com o que foge do padrão, a beleza do ensaio é inspirada pelo grey hair, a moda dos fios cinzas que conquistou fashionistas e celebridades do mundo todo. Os cliques também mostram a parceria mútua entre mãe e filha quando o assunto é sapato, e os momentos divertidos de compras e trocas de conselhos.

O conceito do trabalho é da agência Matriz, com direção de Roberto Philomena e Mauricio Oliveira, e destaca os principais lançamentos da estação, entre eles botas, escarpins, sapatilhas e peep toes.

imagem

CAMPINA GRANDE TERÁ FÓRUM DE INSPIRAÇÕES INVERNO 2015 DURANTE GIRA CALÇADOS

A cidade terá a oportunidade de receber informações antecipadas da estação, que são essenciais para toda a cadeia da moda brasileira

O Fórum de Inspirações, com o esperado Caderno de Tendências, vem sendo realizado pela Associação Brasileira de Empresas de Componentes para Couro, Calçados e Artefatos (Assintecal) em Campina Grande há três anos durante o Gira Calçados. Este ano, as tendências para o Inverno 2015 serão passadas no primeiro dia do evento pelo estilista Jefferson de Assis, nesta terça-feira (3), na Federação das Indústrias do Estado da Paraíba (Fiep).

Antes da palestra, a partir das 18h30, haverá um Showroom de Materiais. A Assintecal ainda preparou para o dia seguinte, quarta-feira (4), a Oficina de Criação, uma importante orientação para os designers. A criação de produtos inovadores é um dos resultados para quem participa dessas capacitações com renomados profissionais do Design.

O estilista Jefferson pretende abordar questões atuais, como consumo e comportamento do público. “Nesta temporada discutiremos o desejo de controle do consumidor no cenário atual da moda. Também apresentaremos as visões estratégicas de futuro para satisfazer as vontades deste consumidor”, disse. Além do Inverno, os participantes também terão informações sobre o Verão 2015.

Quem participar verá cores, formas e texturas decodificadas em materiais durante a apresentação. Ao final da palestra, todos receberão um kit com pôster impresso de cada conceito do Inverno e um CD com a publicação do Inverno e o Catálogo do Verão. Estudantes ou profissionais que não possuem CNPJ deverão efetuar suas inscrições pelo e-mail design@assintecal.org.br ou no local do evento. Já os profissionais com CNPJ podem se inscrever pelo site do Inspiramais.

A realização do Fórum de Inspirações conta com a Footwear Components by Brasil, Associação Brasileira das Indústrias de Calçados (Abicalçados) e Centro das Indústrias de Curtumes do Brasil (CICB). O patrocínio é da Amplast, J. Shayeb, Bertex, BHZ Design, Cipatex, Colorgraf, CST, Magma, Sappi e Twiltex. A parceria é da Agência (Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial), Sebrae e Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil). A gráfica oficial é a Comunicação Impressa.

O apoio ao evento é da Associação Brasileira de Estudos e Pesquisas em Moda (Abepem), Associação Brasileira de Estilistas (Abest), Associação Brasileira da Indústria de Artefatos de Couro e Artigos de Viagem (Abiacav), Associação Brasileira da Indústria Têxtil e de Confecção (Abit), Programa de Internacionalização da Moda Brasileira (TexBrasil), Instituto Brasileiro de Gemas e Metais Preciosos (IBGM), Instituto Nacional de Moda e Design (In-Mod) e Instituto by Brasil (IBB).

Chuva de inspirações – As inspirações para o Inverno 2015 estão divididas em três conceitos, suavidade, metrópole e solar. A chuva é o ponto de partida. No Brasil, em cada região, ela é anunciada de formas diferentes, muitas vezes pelo instinto de aves como o Acauã e o Íbis-escarlate (Guará). Em alguns lugares ela é garantia de alimento e de alegria, como no sertão nordestino. Nas grandes cidades, que nunca estão preparadas para recebê-la, é quase sempre vista como sinônimo de castigo. Após um Verão intenso, uma estação multe estampada, a chuva lava e renova. É o elemento que traz as inspirações para a estação.

Inspiramais – A edição do Inspiramais Inverno 2015, que é o Salão de Design e Inovação de Materiais, ocorrerá nos dias 16 e 17 de julho, das 9 às 19 horas, no Centro de Convenções do Shopping Frei Caneca, em São Paulo (SP). O evento reunirá todas as novidades em materiais, tecidos, sintéticos, colas, saltos, enfeites, aviamentos e outros itens que estarão presentes nos calçados e bolsas do próximo inverno.

Serviço

Evento: Fórum de Inspirações Inverno 2015, com Jefferson de Assis

Data: Terça-feira (3)

Horário do Showroom: das 18h30 às 19h30

Horário do Fórum: 19h30

Local: Fiep (Av. Manoel Gonçalves Guimarães, 195 – José Pinheiro)

Informações: Pelo e-mail design@assintecal.org.brou no Sebrae CG: (83) 2101-0100

Evento: Oficina de Criação

 

Data: Quarta-feira (4)

Horário: das 8h às 12h

Inscrições: pelo e-mail claudia.mendes@assintecal.org.br

Importante: para participar é necessário ter assistido à palestra no dia anterior.

imagem

Canatiba apresenta lançamentos para o verão 2015 Entre os destaques, Beauty Denim®, Hi-Confort® e MaxSkin®

A Canatiba promoveu, nesta quinta-feira, 13, em São Paulo, o  “Workshop Canatiba – Verão 2015”, em que apresentou seus principais produtos para a temporada. O evento foi produzido em três salas. Na primeira, foram expostos os lançamentos da Coleção Canatiba Verão 2015. Na segunda, a pesquisadora Bia Aidar trouxe as tendências da moda para a estação e o Book da Canatiba, que indica os tipos de denim para os fits e as lavagens para a estação. Já na terceira sala, o consultor europeu Ricardo Batista destacou as principais receitas em beneficiamentos.

Lançamentos

Entre os destaques da coleção está o Beauty Denim®, produzida com Emana®, que ajuda no combate à celulite e ainda oferece firmeza e melhor elasticidade à pele. O Duo Core®, uma nova geração de jeans que conta com a tecnologia LYCRA®dualFX® – combinação dos fios LYCRA® e LYCRA®T400® – que proporciona um perfeito ajuste ao corpo. Além disso, as linhas Hi-Confort® e MaxSkin® ressaltaram tipos de denim ultramacios desenvolvidos com fibras celulósicas Tencel® e Lenzing Modal®, assim como 100% algodão e elastano/algodão.

Temas

Tendo o faroeste, a miscigenação dos centros urbanos e o verão sem fim como inspiração, a pesquisadora Bia Aidar criou três temas para a coleção verão 2015 da Canatiba: Wild Scape, que apresenta estilo country e mitologias de índios Apaches, evidenciando cores terrosas misturada aos verdes; Timeless, que ressalta o estilo despojado com traços esportivos apontando uma imensa gama de cores; e o Kinect Art, tema que tem o colorido das artes de rua das grandes cidades como estímulo.

O evento, que também já aconteceu em Brusque (SC), será realizado em outros polos jeanswear do país como Rio de Janeiro (RJ), Criciúma (SC), Maringá (PR), Cianorte (PR), Goiânia (GO), Fortaleza (CE), Belo Horizonte (MG), Juiz de Fora (MG) e São José do Rio Preto (SP).

imagem

Cão de pelúcia acompanha tênis em nova coleção

Em clima de Copa do Mundo, a Klin a coleção Klin Seleções, composta por pelúcias do cachorrinho mascote da marca. São cinco opções, que representam algumas das principais seleções de futebol participantes da Copa: Brasil, Espanha, Itália, Alemanha e Japão. 

Cada cãozinho veste a camiseta de sua seleção e acompanha um acessório típico do país correspondente. Além disso, o brinquedo late e grita “Gol!”. A Klin Seleções, que acompanhará alguns modelos das linhas Line Play, Outdoor, Charminho, Cravinho e Carinho, chega às lojas a partir de março. 

 
imagem

Cara Delevingne lança coleção para a DKNY

Linha apresenta peças unissex

Cara Delevingne apresenta sua coleção em parceria com a marca DKNY. A linha, batizada de Cara Delevingne for DKNY, é composta por 15 peças unissex, incluindo alguns itens indispensáveis no closet da modelo como regatas, T-shirts, touca, calça de moletom, jaquetas de couro, parkas e macacão. A coleção estará disponível no e-commerce da marca a partir de outubro.

Os modelos da próxima campanha, que serão fotografados ao lado de Cara, foram escolhidos através de uma seleção feita pelo instagram. Os cadidatos selecionados, que ainda não foram divulgados, enviaram uma foto com look básico para  #CaraD4DKNY e #CaraWantsYou durante o mês de julho.

imagem

Carrano aposta em botas de diferentes alturas para inverno

Canos curtos e over the knee estão entre as principais modelagens.

A mulher cosmopolita e moderna que consegue explorar estilos distintos, do clássico ao esportivo, e manter um visual despojado e sofisticado. Foi ela que serviu de inspiração para a Carrano desenvolver a nova coleção para a temporada inverno 2016.

Botas curtas, over the knee, bolsas estruturadas e com tampa, bucket bags (bolsas sacos, sucesso dos anos 1990), salto bloco e as peças com amarrações são os principais ícones da marca para estação fria. Também em destaque surgem as sandálias, botas, tênis e bolsas que exploram pelos da tendência Fur Away.

imagem

Cartago apresenta conceito ‘Nautage’

Para a nova temporada, a Cartago, marca de sandálias e chinelos masculinos da Grendene (Farroupilha/RS), busca a combinação do universo náutico com a tendência heritage, que alia tradição e conforto. Assim, surge o conceito ‘Nautage’, que guia os novos produtos, lançados na Couromoda.

O chamariz da coleção é a linha de chinelos de dedo Rimini. Nesta, destaque para a mistura de couro sintético e EVA, trazendo grande percepção de conforto. A nova cartela de cores foi desenvolvida em cima do estudo de tendências, entregando mais valor para o consumidor final, em cada detalhe.

imagem

Carteiras Ferracini 24H ajudam homem a expressar estilo

Com linhas básicas e mais ousadas, peças surgem em tom único e blocos de cores.

Assim como as bolsas são amigas inseparáveis das mulheres, a carteira ocupa a mesma importância para o homem. Com a percepção de que o acessório ultrapassou a mera funcionalidade de carregar dinheiro e documentos e, hoje, é também uma ferramenta de expressão de estilo, a Ferracini 24H incluiu em seu catálogo modelos feitos 100% em couro.

Há opções de linhas mais básicas e mais ousadas, com peças surgindo em tom único ou com blocos de cores, em estilo tradicional ou retrô, com detalhes ou mais discreta. Para trazer ainda mais novidades, os modelos incluem o denim de couro perfurado.

Fonte: Francal.com.br

imagem

Cenário político influi no sobe-e-desce do dólar

Com uma valorização de 9,33% no mês de setembro, a unidade monetária atingiu seu maior valor desde dezembro de 2008

A variação do câmbio financeiro é um dos fatores que mais influenciaram os rumos do mercado calçadista nas últimas décadas. E a moeda americana vem oscilando bastante neste segundo semestre. Com uma valorização de 9,33% no mês de setembro, a unidade monetária atingiu seu maior valor desde dezembro de 2008. Na sextafeira anterior às eleições, dia 3 de outubro, chegou a bater os R$ 2,50, fechando em R$ 2,46. Já um dia após o primeiro turno do pleito, baixou para R$ 2,38, mantendo-se em R$ 2,42. Foi a maior queda desde abril, em um dia. Ou seja, o futuro do dólar depende do resultado das urnas no segundo turno, marcado para 26 de outubro.

Algumas razões explicam o porquê desta flutuação do câmbio em 2014. Segundo o diretor da Faculdade de Ciências Econômicas da UFRGS, Hélio Henkin, o período eleitoral gera desconfiança pela incerteza de quem irá assumir o poder, definição que estabelecerá como será guiada a política econômica nacional.

Instabilidade

“Muitas vezes, em períodos eleitorais, em função de especulação, da instabilidade, acontece uma antecipação de compra de moeda estrangeira, o que a deixa mais cara”, explica. O cenário econômico também está no centro da flutuação. “Um outro motivo é que ela está ocorrendo em um caldo de cultura fértil, em que o balanço de transações correntes está negativo. Nossa balança comercial está pobre. O saldo geral é negativo”, diz Henkin.

A desvalorização do real não significa, porém, que as empresas poderão empreender um esforço duradouro para exportar, uma vez que não há certeza de que essa desvalorização terá continuidade. O cenário para o período póseleitoral indica que a expectativa é de um patamar acima de R$ 2,40. “O regime macroeconômico do Brasil é de taxa de câmbio flutuante. O que se pode dizer é que vai estar mais perto dos R$ 2,50, R$ 2,60, dos que os dos R$ 2,20, R$ 2,30 que perdurou este ano”, projeta o economista.

Instabilidade gera insegurança e prejudica negociações

Em geral, quando o valor da moeda brasileira em relação ao dólar se desvaloriza, há um incentiva às exportações. Para cada unidade vendida, ganha-se mais em reais, fazendo com que as empresas consigam cobrir melhor os custos de produção. O contrário também acontece com as importações, elevando o preço dos produtos importados em moeda nacional.

Esta é a expectativa do empresário Heubner Almeida, proprietário da Monacci (Igrejinha/RS). “Se o dólar subir, ótimo, maravilhoso. Isto, para nós, incide apenas na matéria-prima, não influi no preço da mão de obra. Cada embarque funciona de uma forma, com pagamento antecipado ou não. Então, quanto a esta oscilação, se pegar a onda no alto, melhor. É loteria pura”, avalia o empresário.

O presidente da Associação Brasileira da Indústria de Calçados (Abicalçados), Heitor Klein, prefere um cenário estável. “Esta constante e abrupta oscilação do câmbio prejudica o setor exportador, dificultando a formação de preços e gerando inseguranças tanto por parte de quem vende, quanto por parte do comprador”, considera. Para o export manager da fabricante Democrata (Franca/SP), Anderson Melo, existem entraves mais importantes. “Portugal, Espanha e Turquia estão disputando fortemente o mercado, fora os asiáticos, que já estão inseridos há muito tempo. Então, enquanto o dólar estiver entre R$ 2,30 e R$ 2,40, estaremos dentro da concorrência. Até porque precisamos ser especialistas em sapato, e não em preço” diz Melo.

Embarques aumentam 27,7% em setembro

Em setembro foram embarcados 12,2 milhões de pares por US$ 90,13 milhões, incrementos de 27,7% em volume e 2,5% em receita no comparativo com o mesmo mês de 2013. Já no acumulado de janeiro a setembro deste ano, a exportação de 94 milhões de pares gerou US$ 789 milhões, volume 4% maior e receita 3% menor do que o registro de 2013.

No caminho oposto, as importações de calçados diminuíram 17,7% na relação de setembro deste ano com o mesmo mês de 2013. No mês passado entraram no Brasil 3 milhões de pares por US$ 46 milhões, valor que foi de US$ 55,85 milhões no ano passado. Já no acumulado, as importações registram, pela primeira vez no ano, uma queda. Entre janeiro e setembro deste ano os brasileiros compraram 29,8 milhões de pares por US$ 450,7 milhões, 1,1% menos do que o registro de 2013 (US$ 455,75 milhões). Os dados são do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), elaborados pela Abicalçados. Heitor Klein diz que o resultado não pode ser justificado com a recente alta do dólar. “Tanto as exportações, quanto as importações foram negócios entabulados há meses. O movimento, como se vê hoje, é episódico”, pontua.

Exportação em números

– O Brasil produz anualmento 900 milhões de pares de calçados;

– 123 milhões destinados ao exterior, o que representa 14% do total da produção;

– A balança comercial do calçado está 4,2% menor em relação ao ano passado;

– EUA, Argentina e França são os maiores compradores do calçado brasileiro.

Fonte: Exclusivo On Line

imagem

Cenários econômicos são pauta de encontro na Abicalçados

A Associação Brasileira das Indústrias de Calçados (Abicalçados) promoveu, na noite de ontem, dia 5, o Workshop Análise de Cenários 2015

A Associação Brasileira das Indústrias de Calçados (Abicalçados) promoveu, na noite de ontem, dia 5, o Workshop Análise de Cenários 2015. O evento, que aconteceu na sede da entidade, em Novo Hamburgo/RS, contou com apresentações dos cenários para macroeconomia, mercado internacional e varejo de calçados.

A primeira palestra foi do economista e diretor da Faculdade de Ciência Econômicas da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Hélio Henkin, que teceu uma análise das perspectivas da macroeconomia para 2015. “Com o pleito definido, o cenário fica mais fácil de ser analisado do que há meses atrás, porém ainda existe uma dúvida muito importante e decisiva de quem assumirá o Ministério da Fazenda”, disse.

Para o economista, apesar da projeção de aceleração do PIB mundial para 2015, com crescimento revisado de 3,6% para 4% pelo Fundo Monetário Internacional (FMI), existem também indicativos importantes de redução no dinamismo dos mercados. “O possível aumento na taxa de juros dos Estados Unidos pode ter efeito importante na liquidez do mercado, o que pode afetar o crescimento do PIB mundial”, destacou. Ele citou, ainda, alguns mercados que devem crescer mais do que a média no próximo ano. Entre os desenvolvidos, destaque para Estados Unidos, Reino Unido e Canadá. Já entre os países em desenvolvimento, China, Índia, Colômbia, Emirados Árabes, Chile e Peru devem crescer acima da média mundial. Já os crescimentos mais baixos devem acontecer na Zona do Euro, Japão, Argentina, Brasil, Rússia e África do Sul.

Por outro lado, o economista apontou um horizonte que pode ser mais positivo, já que a economia mundial se encaminha para um ciclo de possível reaceleração. Para o Brasil, o crescimento em 2015 deve ser de 2%, conforme o FMI. Para Henkin, o Brasil tem desafios importantes, mas pode crescer especialmente com as perspectivas de gastos públicos elevados, o que estimula a economia, exportações em alta puxadas pelo crescimento mundial e também pela possível desvalorização cambial. Já entre as perspectivas mais negativas, está a limitação do crescimento baseado no consumo e transferência de renda que, conforme o economista, será um “grande desafio para as equipes de marketing das empresas brasileiras”. “O consumo não deve continuar sendo a locomotiva do crescimento, o que deve tornar a concorrência mais acirrada”, projetou.

Câmbio

Embora o Brasil adote um regime de câmbio flutuante, segundo Henkin, é preciso identificar a faixa da moeda americana frente ao real para traçar as estratégias de exportações. O economista ressaltou que existem fatores de alta, como a perspectiva de elevação da taxa de juros nos Estados Unidos, a redução do investimento estrangeiro no Brasil, a redução do superávit comercial e a taxa de inflação em elevação. Já entre os fatores que podem conter a valorização da moeda americana está o uso de reservas e operações cambiais por parte do Banco Central do Brasil. “Acredito que os fatores de alta estejam sobrepujando os de contenção. No próximo ano a variação deve ser entre R$ 2,30 e R$ 2,50”, disse.

Calçadistas

Para o setor calçadista, as projeções de terminar 2014 com US$ 1,06 bilhão em exportações e US$ 580 milhões em importações, demonstram uma melhora na balança comercial do setor, tendência que deve continuar em 2015.

Henkin destacou que o ano de 2014 foi de queda nos indicadores, desde o varejo até a exportação de calçados, o que afetou severamente os níveis de produção do segmento. Segundo ele, ao longo do ano os preços para o produtor aumentaram mais do que os preços para o consumidor, o que demonstra que o aumento foi absorvido pelo setor produtivo. Já para o próximo ano, o economista ressaltou uma possível reaceleração do mercado calçadista, bem como de toda a economia brasileira. “Será um ano de ajustes e acredito que a equipe econômica tenha ciência do que precisa ser feito para gerar uma reaceleração no mercado”, concluiu Henkin.

Pulverização

Na sequência aconteceu a palestra do gerente executivo de Inteligência Comercial e Estratégia de Mercado da Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil), Marcos Lélis, que falou sobre as oportunidades e ameaças do comércio internacional para o Brasil. Primeiramente, Lélis ressaltou que a dependência dos calçadistas dos mercados norte-americanos e argentino está em declínio, o que pode ser positivo, já que ambos diminuíram suas importações. “Desde 2007, tanto os Estados Unidos como a Argentina vêm diminuindo suas compras de calçados brasileiros, o primeiro com 20% de queda média anual e o segundo com 5,5% de queda anual. Como quase metade das exportações brasileiras de calçados tinham como destinos esses dois países, eles acabaram puxando os indicadores para baixo. Os outros países, por outro lado, aumentaram as compras de calçados do Brasil”, disse.

Para Lélis, além de diminuir a dependência, pulverizando as exportações especialmente para mercados potenciais, como Colômbia, Chile, Peru, China, Rússia, entre outros, o calçadista deve apostar na concorrência por valor agregado e marca, fugindo da concorrência no preço, onde os asiáticos são imbatíveis.

Lélis demonstrou, em gráficos, que as exportações de calçados de couro vem caindo, ao passo que a de chinelos e injetados aumenta nos últimos anos. “Em 2008, a fatia das exportações de calçados de couro era de 69%, ano passado ficou em 47%. Já a fatia dos chinelos aumentou de 11% para 22%. Vocês sabem por quê? Marca! Tem uma marca que vende chinelos a mais de 25 euros na Europa”, provocou.

Para 2015, o executivo projetou um cenário de melhora, com “tombo menor do que em 2014”. Prevendo que, neste ano, as exportações de calçados caiam 2,2% em receita com relação ao ano passado, Lélis prevê uma queda menor, de 1,7% em 2015. “Pode ser até que a queda estanque, pois existe uma tendência de reaceleração. Acredito que o pior já passou, mas os calçadistas precisam, além de apostar em produtos com maior valor agregado e manter o nosso mercado forte aqui na América do Sul, passar a olhar outros mercados potenciais”, aconselhou Lélis.

Varejo

As tendências para o varejo brasileiro de calçados foi o tema da palestra de Gustavo Campos, pesquisador e diretor da Focal Pesquisas. Provocativo, Campos disse que as empresas precisam “aprender a caçar” e que para isso, é preciso “estar com fome”. “Parece que o cenário tem que piorar mais para as empresas melhorarem”. Para o pesquisador, é preciso que o empresário saia da zona de conforto. “O próximo ano será de ajustes e vai ser preciso melhorar a cada dia”, destacou.

Por outro lado, ele apresentou alguns indicadores que podem ser encarados como positivos para o varejo, como a queda no nível de endividamento. Em setembro, o endividamento era de 63,1% dos consumidores, número que caiu para 60,2% em outubro. Já a fatia de pessoas que disseram não ter condições de pagar caiu de 5,9%, em setembro, para 5,4% em outubro. “Existem ajustes de nível governamental que precisarão ser feitos, mas existem ajustes em nível de indivíduos que já vêm acontecendo”, disse Campos.

Para o pesquisador, a indústria deve apostar no varejo multiformato e customizado, mantendo suas marcas relevantes. “Criar conexões emocionais é fundamental”, acrescentou, usando como exemplo o grande sucesso contemporâneo dos produtos artesanais. “O nosso calçado é artesanal, fazemos quase tudo à mão, mas precisamos contar essa história. Outro ponto é a nostalgia, que dá segurança e cria um laço emocional importante”, listou, citando apenas alguns dos desafios empresariais para o próximo período, que será de ajustes econômicos, mas que deve ser também de mudanças culturais no âmbito das empresas.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Abicalçados

imagem

Centro Universitário Belas Artes de São Paulo está com vaga aberta para cursos livre de moda

A instituição está com inscrições abertas para o curso e Gestão do Varejo de Moda, direcionadas a estudantes, profissionais atuantes nas áreas referidas e demais interessados.

O curso “Gestão do Varejo de Moda” visa apresentar os cenários brasileiro e internacional da área, analisando ponto de venda e comportamento do consumidor, especificando cada uma das suas características. A ideia é aperfeiçoar profissionais já atuantes no mercado de moda e apresentar novas possibilidades aos alunos e interessados.

À frente das aulas está Laura Nobrega, mestra em Têxtil e Moda, com vasta experiência em produção de moda, visual merchandiser – tendo representado marcas conceituadas no mercado têxtil e de confecção – organização e participação nos backstages das principais semanas de moda brasileiras e dona do Ateliê Laura Nobrega, que atua na produção e fornecimento de acessórios para o varejo de moda.

 

Serviço: Curso Gestão do Varejo de Moda

Local: Centro Universitário Belas Artes de São Paulo

Carga horária: 20 horas

Dias da semana: Segundas e quartas

Período: 23/11 a 07/12

Horário: 18h30 às 22h30

As inscrições podem ser feitas pelo site: www.belasartes/cursoslivres

imagem

Chanel é acusada de plágio e pede desculpas à marca escocesa

O lindo desfile “Métiers D’art” da Chanel ainda está dando o que falar, porém desta vez por outro motivo. O desfile, que aconteceu no dia (01.12) e levou Paris à Roma nos famosos estúdios Cinecittà, agora rende polêmica em torno dos suéteres masculinos.

Dois dias após a apresentação, Mati Ventrillon, dona de uma pequena marca homônima que fica em Fair Isle, na Escócia, publicou no Facebook uma nota em que acusava a Chanel de plágio. “Há algum tempo funcionários da Chanel vieram a Fair Isle e compraram algumas das minhas peças para pesquisa. Eu fui bem clara que venderia pela reputação da Chanel e não esperava que copiassem minhas peças… Mal sabia eu.”, disse.

A marca agiu de forma correta e rápida e não demorou a se manifestar sobre a acusação, que ganhou força nas redes sociais: “A Chanel reconhece que a situação foi resultado de uma falha de comunicação entre equipes e pede sinceras desculpas. Também reconhecemos a herança e o know-how de Fair Isle”, explica a grife. “A empresa enfatiza que é extremamente vigilante no respeito à criatividade, seja nossa ou de outros”, completou o comunicado.

Desde o pedido de desculpas, Mati agradeceu a todos que apoiaram a divulgação do caso e à própria Chanel, a quem descreveu como “muito aberta e prestativa durante todo o processo”.  Após a situação, a Chanel ainda anunciou que vai creditar as peças com os dizeres “Mati Ventrillon Design” em suas plataformas de comunicação, como forma de reparar o erro.

imagem

Chanel traz o esportivo para a Alta-Costura

Fugindo dos padrões da combinação salto alto e vestido longo da Alta-Costura, Karl Lagerfeld apostou em uma moda que une o universo esportivo à sofisticação para sua coleção de primavera-verão 2014/15. O desfile da Chanel aconteceu no final de Janeiro, em Paris, durante a Semana de Alta-Costura, e veio com uma proposta que dispensa os saltos glamourosos e dá lugar aos trainers (tênis para prática esportiva). No vestuário, conjuntos compostos por top cropped, saia e blusa, além de jaquetas que lembram os uniformes esportivos, macacões que ganham sofisticação com bordados de cristal, e bolsas transformadas em práticas pochetes coloridas que combinam com cotoveleiras e joelheiras.

imagem

Charlotte Olympia cria para a working lady

A criativa Charlotte Olympia, designer de acessórios britânica conhecida por colocar sua assinatura na sola de sapatos que têm gatinhos no cabedal, acaba de apresentar mais uma novidade. Sua mais nova linha é totalmente voltada para a working lady, ou seja, a mulher de escritório.

Sem inspirar-se tanto no universo lúdico, mas utilizando seu tradicional verniz retrô ultrafeminino, a estilista criou bolsas diurnas, como a Borgat, que é bem estruturada e vem com um par de luvas de couro na mesma cor do modelo escolhido, e sapatos com saltos mais moderados, como o pump de kitten heel, que será embalado dentro de caixas que remetem à pastas de trabalho.

imagem

Cheia de estilo, chega a coleção para o calor da Bottero

O detalhe do trabalho manual, a tecnologia do recorte a laser e a modernidade da transparência – assim é a coleção de primavera/verão da Calçados Bottero (Parobé/RS). A marca aposta em mules e tamancos, casual sneakers e flatforms sandals para conquistar as mulheres na estação mais quente.

A tendência do handmade, que valoriza o artesanato, se apresenta em tramados e no uso de materiais como corda, ráfia e cortiça, principalmente nos saltos. No contraponto, um toque de modernidade se mostra com o glamour do glitter e a inovação do translúcido, seja em tiras ou nos saltos. Outra novidade da Bottero são as soft straps, que incrementam os modelos, com suas tiras de couro macio e enrugadas.

imagem

Cherry propõe alquimia fashion para os dias quentes

Coleção apresentada na Francal veio repleta de estampas botânicas e superfícies ‘full plastic’ para celebrar toda a intensidade do calor.

Ao misturar a exuberância da natureza com o encantador universo do plástico, a Cherry propõe uma verdadeira alquimia para a temporada primavera/verão. Na coleção apresentada na Francal 2016, a profusão de cores do jardim se confunde com o brilho do material que é puro desejo.

As estampas são intensas e os enfeites, enfeites delicados. Entre a sutileza das transparências e a intensidade de tons vibrantes, os modelos exalam leveza e prometem deixar os dias quentes com doses extras de estilo.

Estampas que remetem à riquíssima flora brasileira ganham espaço nobre nos lançamentos, em padronagens florais e desenhos de plantas, inclusive nas palmilhas. Insetos e pássaros são elementos essenciais da temporada: desenhos de borboletas, libélulas e joaninhas dão um toque divertido aos looks, enquanto passarinhos deixam a produção mais doce.

O plástico – em versões transparentes ou com intensos toques de cor – é reverenciado em construções modernas e repletas de atitude. Sandálias, sapatilhas e até mesmo botas destacam o poder do material que foi visto com entusiasmo nas passarelas.

Para deixar a estação quente com uma vibração a mais, as cores assumem papel de destaque ao surgir em combinações marcantes. Na lista de apostas, os tons delicados do rosa chá, o lilás hortência e o bege areia, que convivem em perfeita harmonia com a energia de superfícies em verde jade, amarelo pólen e vermelho rubi.

imagem

Chile – “Onde comer”

Chile – “Onde comer”

Oiii gente, andei sumida essas últimas semanas, estava na correria, mas agora vou atualizar todos os posts por aqui, quem me segue nas redes sociais tem acompanhado um pouquinho do meu dia-a-dia.

Vamos lá então…

Domingo fui para o Chile fazer uma campanha (Ahhh! Como é bom e gratificante a gente fazer o que ama nè?!) Enfim… Fiquei apenas 4 noites lá e tive pouco tempo pra passeio, foram 3 dias de trabalho das 7 am as 19:00, massss… Tive a oportunidade de conhecer restaurantes incriveis, ambiente maravilhoso, comida sensacional e quem estiver indo pra la ou planeja ir, TEM que conhecer esses lugares.

ONDE COMER

TiIRAMISSU – Todo turista em Santiago tem que ir, a comida é ótima, ambiente agradável e aconchegante, com a parte ao ar livre, cercada de plantas e árvores. O Tiramissu é conhecida pela pizza, mas super indico as “ensalatas” (saladas) são MUITO bem servidas. Eu pedi a de POLLO CAESAR e amei, de entradinha pedi uns espetinhos de camarão … Hummm…

Local: Isidora Goynechea e Plaza Perú – Las Condes  ( Entrada por essas duas ruas)

ZANZIBAR – Esse restaurante definitivamente me encantou, que lugar delicioso, ambiente meio oriente médio, com direito a apresentação de uma dançarina do ventre e sem contar a diversidade gastronômica do cardápio. Gente, sério! Demais!!! No cardápio tem vários pratos de diversos países, desde Itália, Tailândia, Vietnã, Turquia, China, Japão, etc…

Pra quem gosta de provar coisas diferentes é uma ótima opção. O Zanzibar fica na BORDER RÍO, um lugar super charmoso e pitoresco, cheio de restaurantes, desde peruano, italiano, japonês…

CENTRO GASTRONÔMICO BEIRA RÍO

Essas são algumas imagens do centro gastronômico beira río onde fica o zanzibar e muitos outros restaurantes. Lugar liiiiiindo.

Bom gente, quem ama gastronômia assim como eu, vai amar o Chile rs… É um lugar onde se come muito bem, se toma um bom vinho. Vinho Chileno é maravilhoso e MUUUUUITO mais barato do que no Brasil, lá vinhos bons e baratos, e é uma ótica dica para dar de presente.

Tive pouco tempo pra conhecer tudo que queria, já que a viagem foi rápida e a trabalho, mas com certeza pretendo voltar e conhecer mais lugares e restaurantes.

Ah! Tem também o PATIO BELLA VISTA que é um lugar com lojas, e restaurantes MARAVILHOSOS e suuuuper delicioso, parecido com o Beira Río.

Local: Constitucion 30 – 70 Providencia, Santiago

Pra quem gosta de fazer Shopping tem o Parque Arauco, é um shopping enorme e muuuuito bom, na área aberta tem vários restaurantes maravilhosos também.

Local: Avenida Presidente Kennedy 5413 | Las Condes

Ah!!! Quem for pro Chile e não comer as famosas “empanadas” quer dizer que não foi pra lá rs são ótiiiimasssss.

Bom pessoal, espero que tenham gostado das dicas… Deixem seus comentários, quero saber o que estão achando, do que gostariam que eu escrevesse, algo em especial ????

Beijinhos

Fran