Menu
X

Arquivos da Categoria: Noticias

imagem

Viva as diferenças: NYFW contou com modelos fora dos padrões

Atriz com Síndrome de Down e top com vitiligo passaram por uma das passarelas mais observadas do mundo

A Semana de Moda de Nova York  começou nessa quinta-feira, 12, e já nos mostrou algumas surpresas, trazendo novamente à tona o debate sobre o padrão de beleza, com modelos que representem pessoas comuns, e não apenas top models.

A atriz Jamie Brewer de American Horror Story tem 30 anos e foi convidada pela marca Carrie Hummer para ser a primeira pessoa portadora de Síndrome de Down a desfilar na Semana de Moda de Nova York. Jamie demostrou muita desenvoltura e liberdade na passarela, esbanjando seu carisma.  A iniciativa faz parte da campanha criada pela própria estilista da marca, intitulada “Role Models Not Runway Models” (Tradução livre: modelos reais, não modelos de passarela). Vale lembrar que Carrie já realizou desfiles com uma cadeirante e senhoras idosas usando suas peças, com o intuito de representar as verdadeiras pessoas que compram seus produtos, as tais “pessoas reais”.

Outro belo exemplo de moda inclusiva e quebra de paradigmas são as campanhas da Desigual com a linda Chantelle Brown-Young  (também conhecida como Winnie Harlow) que tem vitiligo. Ela já apareceu em fotos para a marca e nesta quinta-feira, 12, desfilou para a grife na NYFW.

Winnie e Jamie são exemplos de encorajamento e superação.

Fotos: Divulgação e © Agência Fotosite

imagem

Vizzano celebra o glamour feminino na próxima estação

Scarpins, anabelas, peep toes e sandálias são as apostas da marca para o verão 2017

Entre recortes e linhas suaves dos grandes clássicos da moda, as modelagens modernas e os tons hit internacionais conferem aos produtos da Vizzano para a estação quente muito charme e sofisticação.

Os scarpins surgem com o salto reto e as sandálias, com salto geométrico, de aspecto estruturado e em altura média, garantindo o máximo de conforto e elegância ao dia a dia. A riqueza dos modelos fica por conta do duo de cores, laser cut e recortes assimétricos, que posicionados nos cabedais são o ponto chave para um acabamento surpreendente.

As anabelas e as opens boots chegam confeccionadas em madeira nos saltos e detalhes de corda, que garantem a temática Boho Chic, forte aposta da passarela. Para um visual descontraído, o caramelo e o castor são aplicados em modelagens que conferem estilo e exuberância.

Já os modelos de festa são perfeitos para celebrar o empoderamento feminino por meio da moda e do glamour. A marca investiu em peças certeiras como peep toes, sandálias multi straps e scarpins nas versões meia pata e metalizado, elevando ao máximo o luxo tão presente na Vizzano.

imagem

Vizzano leva glamour e estilo à coleção Inverno 2016

Texturas píton, lezard e croco garantem toque selvagem aos calçados da marca na estação fria.

Glamour e estilo configuram o visual da nova coleção inverno 2016 da Vizzano, em que celebra alguns dos modelos essenciais do guarda roupa da mulher moderna. Entre eles estão os escarpins de bico fino e as sandálias estruturadas, ambas com propostas arrojadas, saltos confortáveis e diversas opções de altura.

Uma forte influência fashionista é traduzida em cabedais que recebem recortes, assimetria e o efeito lace-up. Outra parte importante das novidades é o trabalho em texturas, responsável por levar o toque selvagem e imponente da píton, lezard e croco aos pés das brasileiras.

As fãs da Vizzano podem esperar também por franjas, que representam a tendência boho chic na coleção e pelo laser cut, aplicado nas napas, camurças e vernizes. Com isso, a marca busca agregar beleza e funcionalidade aos principais modelos da estação fria, incluindo os flats e as ankle boots.

imagem

Você magnífica na MAGNÍFICA

Bom diaaaa meus amores….

Eu amo compartilhar tudo com vocês (já deu pra perceber né?!rs). Mas, é que quando é algo muito incrível, acho válido dividir.

Nós, mulheres amamos nos vestir bem, seja para o nosso amor, para nós mesmas, ou para outras mulheres não é? hahahaha

Bem, a loja MAGNÍFICA LINGERIE, localizada em Jaú é maraaa… Além de lingeries maravilhosas, marcas como Hope, Fruit de la Passion, Daniela tombini, linha da Gisele Bundchen entre outras, tem também roupas, biquínis, pijamas feminino, masculino e infantil. UAL!!!

imagem

Vulcabras Azaleia tem lucro de R$ 2,1 milhões no primeiro trimestre

A Vulcabras Azaleia, detentora das marcas Azaleia, Dijean, Olympikus, Opanka, OLK e Botas Vulcabras, encerrou o primeiro trimestre de 2016 com lucro líquido de R$ 2,1 milhões e EBITDA de R$ 37,5 milhões, aumento de 33,8% se comparado com o mesmo período do ano passado.

A companhia obteve também incremento das vendas nos três primeiros meses, atingindo R$ 292,2 milhões, 14,9% a mais que em 2015. Destes, R$ 245,7 milhões foram para o mercado interno e R$ 46,5 milhões no externo.

Os comparativos foram elaborados sem considerar a operação descontinuada na Argentina em 2015 para que os números avaliados partissem da mesma base. “O encerramento das operações da Reebok e da filial no País deram uma melhor posição de capital de giro e endividamento da empresa”, explica o CEO da Vulcabras Azaleia, Pedro Bartelle.

Os números positivos são reflexo do bom desempenho das marcas. No feminino, a criação de uma unidade única e a especialização da equipe se mostraram muito eficazes, resultando em ágil resposta ao mercado, com coleções assertivas. “As novas linhas de Azaleia, Dijean e Opanka tiveram uma excelente repercussão, contribuindo para o aumento das vendas”, afirma Bartelle.

Já no esportivo, a companhia continuou investindo em tecnologia e inovação, priorizando pesquisas e desenvolvimento de novos produtos, sempre em busca da melhor performance. Na opinião do CEO, os produtos da marca Olympikus têm se mostrado o melhor custo-benefício do mercado e uma ótima opção diante desse cenário adverso. Esse fato já é reconhecido pelos clientes, que aumentaram suas encomendas.

Mesmo com o cenário econômico adverso, a Vulcabras Azaleia tem conquistado bons resultados. “Conseguimos crescer em faturamento em todas as divisões, confirmando que a estratégia de foco e de fortalecimento de nossas marcas próprias tem dado certo. Estamos recuperando nossa participação de maneira acelerada, registrando crescimento no patamar de dois dígitos”, finaliza o executivo.

imagem

Vulcabras vai focar em sapatos femininos

Parceria com designer pretende ampliar a operação de calçados femininos em até 35%

São Paulo – Com os negócios de calçado esportivo estabilizados, a Vulcabras pretende, agora, expandir as operações do setor feminino, com as marcas Azaleia e Dijean.

A empresa, que passa por um processo de reestruturação, assinou parceria em maio do ano passado com o designer Jorge Bischoff, para remodelar o planejamento estratégico das marcas femininas.

Para o designer, o trabalho de reformulação vai além de uma nova modelagem. “Toda a indústria precisou ser modificada: desenvolvimento, compras, vendas e produção”, disse Bischoff, por meio de nota.

Segundo Pedro Bartelle, diretor de marketing e um dos acionistas da companhia, a intenção é que a área cresça de 30 a 35% neste ano.

“A Olympikus gera 75% do nosso faturamento e com os eventos esportivos poderá crescer organicamente. Por isso, a estratégia em 2014 é focar e expandir os negócios de calçado feminino”, afirmou o executivo em entrevista à EXAME.com, durante a Couromodas.

De acordo com o último balanço divulgado pela companhia, no terceiro trimestre de 2013, a área de calçados femininos reportou 59 milhões de reais, uma queda de 34,7% em relação ao mesmo período de 2012. Já no acumulado de nove meses, o montante foi de 173,3 milhões, 28,2% a menos que no ano anterior.

Em nota, a Vulcabras afirmou que a queda nas operações de calçados femininos foi baseada na decisão da companhia de interromper a produção de chinelos para focar em linhas mais rentáveis.

Estratégia

Em dezembro de 2013, o grupo anunciou a troca no comando da companhia. Pedro Grendene cedeu lugar a Leonardo Horta, executivo que estava à frente do processo de reestruturação.

Com mais de 25.000 funcionários e fábricas na Bahia, Ceará, Sergipe, Argentina e Rio Grande do Sul, a Vulcabras conta com o apoio do escritório Galeazzi & Associados para colocar em prática as mudanças traçadas no último ano

 

Fonte: EXAME

imagem

Workshop de calçadistas aborda erradicação do trabalho infantil

A erradicação do trabalho infantil nas fábricas de calçados foi tema de workshop realizado ontem, dia 10, na sede do Sindicato das Indústrias do Calçado e Vestuário de Birigui (Sinbi). Para uma plateia de empresários e profissionais do setor calçadista, o assessor-executivo da Associação Brasileira das Indústrias de Calçados (Abicalçados), Igor Hoelscher, e Leonardo Machado, da gerência executiva de Facilitação de Negócios Internacionais da Agência Brasileira de Promoção das Exportações e Investimentos (Apex-Brasil) falaram sobre os esforços da indústria para a erradicação definitiva do trabalho infantil na atividade.

Destacando o trabalho que vem sendo realizado pelo setor desde a década de 1990 no sentido de dar fim ao envolvimento de crianças na atividade, Hoelscher disse que a questão também é de responsabilidade das empresas. “Além da responsabilidade social, a atuação dentro dos parâmetros legais de erradicação do trabalho infantil no segmento pode auxiliar na geração de negócios no mercado interno e externo”, disse.

Segundo o executivo, a questão evoluiu com o passar dos anos, embora possam existir casos isolados de trabalho de crianças no segmento. “Não é possível que se tratem casos isolados como regra de uma indústria que evoluiu muito na questão desde a década de 90, quando os Estados Unidos reportaram trabalho infantil em fábricas brasileiras de calçados pela primeira vez”, destacou, em referência ao fato do Brasil ainda figurar em listagens do departamento norte-americano do trabalho (DOL – sigla em inglês) como um país que utiliza trabalho de crianças na indústria de transformação. “A Abicalçados vem trabalhando para que o departamento dos Estados Unidos possa nos apontar onde existe a modalidade, mas eles admitem que se tratam apenas de evidências geradas através de publicações na imprensa que, muitas vezes, carecem de credibilidade e evidências”, acrescentou, informando que a entidade vem trabalhando junto aos órgãos responsáveis pelas listagem nos Estados Unidos para a retirada do setor dos relatórios oficiais.

Reflexo nos negócios

O caso da presença da indústria de transformação brasileira em listas elaboradas pelo departamento do trabalho dos Estados Unidos e as implicações comerciais que o fato pode gerar foram abordadas na sequência pelo representante da Apex-Brasil. “As listas são elaboradas a cada dois anos. Existe uma metodologia questionável – baseada em reportagens e evidências sem comprovação – de entrada, mas não de saída dessas listagens”, explicou Machado, que ressaltou a evolução do setor calçadista rumo à completa erradicação do trabalho infantil.

Assim como a Abicalçados, a Apex-Brasil busca mais detalhes sobre onde existe a ilegalidade para atacá-la. “O fato do Brasil ser um país combativo ao trabalho forçado, não só de crianças, também acaba nos colocando em listas como as dos Estados Unidos justamente pelo método utilizado para o levantamento”, disse. Segundo ele, países que não são combativos, que tampouco têm a figura de fiscais do trabalho e uma imprensa livre, são livrados da listagem, mesmo que tenham trabalho infantil em suas indústrias. “Outra questão que nos chama atenção é o fato de que apenas países em desenvolvimento figuram na lista”, frisou, acrescentando que o Brasil, embora seja referência internacional em termos de legislação trabalhista e combate ao trabalho indigno, aparece ao lado de países como Índia, Bangladesh, Vietnã e Miamar. Além da perda em imagem do país junto ao consumidor norte-americano, figurar nessas listas, segundo Machado, pode gerar prejuízos comerciais tangíveis como a não inclusão do Brasil no Sistema Geral de Preferências (SGP) dos Estados Unidos, mecanismo que deve entrar em vigor ainda em 2015 e concederá tarifas menores para a importação de produtos de países em desenvolvimento. “A nossa preocupação é que, embora o aparecimento do Brasil nessas listas não seja impeditivo para o comércio internacional, pode tirar benefícios importantes para a competitividade das nossas exportações”, explicou.

Selo

Durante o encontro foi apresentado o case do Instituto Pró-Criança, fundado em 1999 pelo Sinbi com o objetivo de não somente erradicar o trabalho infantil no setor calçadista da cidade, mas dar oportunidade para que as crianças participem de atividades para o desenvolvimento cultural e humano através de aulas, oficinas e entretenimento.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Abicalçado

imagem

Workwear inspira novo modelo de bota da West Coast

O workwear é tema do novo vídeo produzido pela parceria entre a West Coast e o site The Hype Br. No filme, Lucas Penido que comanda o website, fala que o workwear não é apenas uma tendência, e sim um estilo de vida. Ao final do curta, é mostrado um modelo de bota inspirado no workwear das décadas de 1930 e 1940. O calçado de cano curto com atacador e couro liso, tem tom terroso com pequenos desgastes. Possui ainda pespontos em linha contrastante e solado de borracha com leve tratorado. Em edição limitada com apenas 200 unidades, as botas começam a ser vendidas na segunda quinzena de junho ao preço médio de R$ 349, na loja Kings.

imagem

Zara apresenta linha feminina com elementos masculinos

Coleção de inverno 2015 traz looks minimalistas

A Zara propôs para sua coleção feminina de inverno 2015, looks minimalistas com elementos característicos do guarda-roupa masculino. A mistura dos gêneros foi representada através de modelagens em corte reto e tons neutros como preto, branco e cinza. Entre as peças, destaque o casaco alongado animal print e para as roupas em alfaiataria. A campanha foi estrelada pelas modelos Edie Campbell, Ine Neefs, Julia Nobis e Mijo Mihaljcic, com cliques de Patrick Demarchelier. A linha já está disponível para compra no site da marca.

Fotos: Patrick Demarchelier / Divulgação

imagem

Zé Carioca estampa coleção de slippers

São três modelos lançados pela Rainha

Criado na década de 1940 pela Walt Disney para homenagear o Brasil, o personagem Zé Carioca estampa uma coleção de calçados de edição limitada da Rainha em parceria com a Disney. São três padronagens diferentes inspiradas no longa “Alô, Amigos” (1942), quando o papagaio apresentava o país ao Pato Donald. Em modelo slipper, o solado chama atenção por apresentar as cores verde e amarela. O Rainha Iate Zé Carioca pode ser encontrado nas lojas por R$ 129,90.

imagem

Zeket estreita relação com mercado interno e externo

Marca exporta para países como Inglaterra, França, Chile, Uruguai, Argentina, Rússia, Bolívia, entre outros,

Os visitantes que foram conferir os produtos da moda brasileira que circularão nas próximas estações teve um incremento de estrangeiros, o que fez com que a Francal 2015 ficasse ainda mais internacional. Um fato que pode ter auxiliado nessa questão foi o subsídio da promotora para que mais de 200 compradores do exterior conhecessem de perto os sapatos brasileiros.

“Hoje, exportamos para países como Inglaterra, França, Chile, Uruguai, Argentina, Rússia, Bolívia, entre outros. A marca tem 56 anos e é bastante conhecida pelas botas que produz, por isso queremos fortalecer a imagem em relação à coleção de verão. E a Francal é um ótimo local para fazer isso. É uma feira importante, da qual vale a pena participar porque sempre abre portas para as empresas”, afirma o diretor da marca, Ramon Lanius.

imagem

Zuhair Murad – Semana de Alta-Costura

Zuhair Murad trouxe para a passarela da Semana de Alta-Costura de Paris um longo amarelo cheio de bordados. Na saia, a aplicação foi evidenciada na barra e na cintura, já na parte superior foi aplicada em uma tela transparente. A cintura da modelo foi marcada com um cinto de penas dourado. O vestido é destaque em nosso Report de Alta-Costura.